Instituto de Cirurgias - InVideoInstituto de Cirurgias - InVideoInstituto de Cirurgias - InVideo
(Segunda - Sexta)
invideodf@invideodf.com.br
Sala 518 Ed. Biosphere

Como é a cirurgia de esterilização feminina?

O procedimento cirúrgico de esterilização pode ser realizado de algumas formas, por exemplo, a famosa laqueadura tubária, que consiste na retirada de um segmento da tuba uterina e manter os outros segmentos remanescentes ligados ou amarrar e cortar a tuba uterina.

Existe uma técnica que consiste na retirada do final da tuba uterina, que é a fimbriectomia. E uma outra técnica seria a retirada de toda a tuba uterina, que é chamada de salpingectomia ou salpingectomia, dos dois lados.

É uma cirurgia que pode ser revertida a depender da técnica com que é feita. No caso, se o ginecologista fez técnica de ligadura, essa cirurgia consegue ter uma reversão e o índice de sucesso depende de alguns fatores. Para se ter sucesso na cirurgia de recanalização tubária, ou seja, reversão da tuba uterina, reversão da ligadura da tuba uterina, esse sucesso depende de quanto tempo decorreu entre a laqueadura e a recanalização ou se a paciente tem alguma comorbidade que possa influenciar na fertilidade dela, se ela tem alguma aderência pélvica ou alguma outra cirurgia pélvica também prévia.

Para avaliar se ela terá sucesso e se ela é candidata ou não a uma cirurgia de recanalização tubária, é necessário ir ao consultório para conversar com o médico.
A vantagem da esterilização cirúrgica é que é um método cômodo de anticoncepção para a paciente. Ela não precisa mais se preocupar em usar anticoncepcionais ou algum outro método para evitar a gravidez.

Todas as decisões contraceptivas, quando atreladas a um planejamento familiar adequado, proporcionam uma melhor preparação para a chegada dos filhos e a prevenção mais efetiva da gravidez indesejada.