Instituto de Cirurgias - InVideoInstituto de Cirurgias - InVideoInstituto de Cirurgias - InVideo
(Segunda - Sexta)
invideodf@invideodf.com.br
Sala 518 Ed. Biosphere

As cirurgias robóticas são seguras?

A segurança na cirurgia robótica depende de todo um contexto e não apenas do robô. Alguns fatores devem ser destacados. O robô está localizado, em geral, em hospitais de primeira categoria, hospitais que tem estrutura de enfermagem, estrutura de engenharia clínica e de médicos que propiciam ter essa ferramenta que é muito delicada, mas que produz ótimos resultados se tiver no contexto apropriado.

É importante ressaltar que o robô não opera sozinho. A segurança dele depende da equipe que o está manuseando, depende do médico que está por trás do robô. Você não aperta o botão e robô opera.

A cirurgia robótica é uma forma avançada de laparoscopia, ou seja, o ser humano está sempre por trás do que o robô está fazendo. Então, a certificação, o preparo e a experiência do médico que está por trás é o que traz a segurança para o procedimento.

Além disso o robô consegue fazer com que a cirurgia seja mais segura do que a laparoscopia, porque ele tem uma engenharia mecatrônica por trás da concepção dos braços robóticos, ou seja, eles filtram o tremor do ser humano. O médico pode tremer que o robô não treme, o médico pode soltar a pinça que, ao contrário da laparoscopia, ela não cai.

A tecnologia do robô ao perceber que não tem alguém guiando aquela pinça interrompe os movimentos. A visão 3D do robô propicia mais segurança porque o médico vê o que está fazendo com mais detalhes. O médico consegue ver, por exemplo, ramos do nervo hipogástrico, que não veria na laparoscopia. Isso é um fator determinante para a preservação desses nervos. Essa proximidade e controle ajuda a aumentar a segurança na plataforma robótica.